Logística agroindustrial: a importância da gestão logística

Logística agroindustrial

Logística agroindustrial: a importância da gestão logística

Uma das primeiras ideias que vem à mente quando alguém fala em agronegócio é imaginar um campo quilométrico de plantações, no entanto, o agronegócio não se limita apenas à criação de animais ou cultivo de vegetais. Essa modernização do campo envolve máquinas, sementes modificadas, novas técnicas que aceleram o cultivo e criação de animais.

Neste artigo ressaltamos a importância da logística agroindustrial no seu negócio e os novos desafios que se apresentam para aumentar a sua competitividade com qualidade e competência adequadas.

História

Após a exclusão de pequenos produtores e trabalhadores rurais na primeira metade dos anos 90, a agricultura brasileira passou por uma revolução onde três importantes características marcaram tal período: tecnológica, gerencial e a de modelo.

  • A revolução tecnológica se caracterizou pela inovação do campo, com o uso de máquinas, tratores, implementos, colheitadeiras de última geração e o desenvolvimento de sementes modificadas através da biotecnologia na agricultura;
  • A revolução gerencial foi para o agricultor moderno, a gestão dos recursos humanos e ambiental, onde cada informação se ajustava rapidamente com relação às mudanças do mercado;
  • Mas a grande mudança ocorreu na revolução de modelo, que exigiu o conceito de cadeia produtiva de agregação de valor às produções primárias.

Esse marco foi fundamental para promover a reestruturação produtiva no campo, por meio da incorporação de tecnologias, da expansão agrícola para novas fronteiras, como o Cerrado e, adesão de métodos agrícolas que melhorassem a qualidade do solo. 

O Conceito

De acordo com os pesquisadores da Universidade de Harvard, John Davis e Ray Goldberg, em 1957, um dos conceitos de agronegócio seria “a soma total das operações de produção e distribuição de suprimentos nas unidades agrícolas, o armazenamento, processamento e distribuição desses produtos agrícolas e itens produzidos a partir deles”. E segundo eles, a agricultura já não podia ser abordada de maneira inerente dos outros agentes responsáveis por todas as atividades que garantiriam a produção, transformação, distribuição e consumo de alimentos.

Cadeia produtiva

A logística no agronegócio cuida de toda a movimentação de materiais, desde o transporte de suprimentos até a entrega do produto ao consumidor final. Além disso, outras atividades se relacionam com outros processos como: compras, armazenagem e distribuição de produtos.

As atividades do agronegócio não se limitam apenas ao plantio ou à pecuária. Para que toda a produção seja um sucesso, é necessário que o empreendedor domine a sua cadeia produtiva, principalmente a área de logística, que é peça-chave para concluir todo o ciclo com agilidade e qualidade. Essa participação da logística no agronegócio possa ser segmentada em três partes integradas e fundamentais: 

  • Logística de suprimentos
  • Logística de apoio à produção agropecuária
  • Logística de Distribuição

Ou seja, envolve todas as etapas que o insumo sofre até se tornar um produto. Para o seu bom funcionamento, as operações e o momento exato de executá-las, garante a produtividade e a normalidade no fluxo logístico, evitando atrasos ou, outros problemas posteriores, como a movimentação e o escoamento do produto acabado.

Com o entendimento da cadeia produtiva, é possível prever os problemas que possam surgir, além de captar oportunidades de negócios e saber aproveitá-las de maneira competitiva.

Nesse sentido, o gerenciamento de processos e atividades intralogística, exige da agroindústria um sistema logístico bem planejado, robusto e integrado, uma vez que lida com um grande volume de cargas.

O sistema agroindustrial é composto por seis grupos econômicos diferentes:

  • Agricultura e pesca
  • Indústrias agroalimentares
  • Distribuição agrícola e alimentar
  • Consumidor final
  • Comércio internacional e indústria
  • Serviços de apoio 

Perceba o quão essencial é entender como a cadeia produtiva do agronegócio funciona, pois qualquer disfunção em uma dessas etapas básicas, compromete todo o esquema de abastecimento alimentar e de competitividade para o setor.

Globalização e tecnologia

Com a globalização e o constante avanço da tecnologia, o agronegócio cada vez mais têm as cadeias se formando em uma grande rede de negócios e cooperações, com o objetivo de fazer com que os parceiros trabalhem em conjunto.

A tecnologia tem sido fiel aliada ao produtor rural na resolução de algumas questões como: perda de insumos, impactos ambientais e sustentabilidade — que deixou de ser tendência, para se tornar uma necessidade. A tecnologia beneficiou as empresas do agronegócio com uma abordagem mais integrada, possibilitando a identificação de carências e fragilidades nos processos e o aumento na expectativa de demanda em determinado segmento.

“Cabe mencionar que, ao contrário do que muitos pensam, 97,5% do número total das agroindústrias nacionais são constituídas de micro e pequenas empresas, com até 99 colaboradores.”

A moderna visão de agribusiness, vem norteando o desenvolvimento desse setor nas economias mais fortes do ocidente, colocando novos desafios para o setor agroindustrial brasileiro. Essa integração tem sido crescente na produção de insumos, na produção agropecuária da agroindústria e na distribuição e armazenamento, bem como as constantes mudanças nos hábitos dos consumidores — sendo cada vez mais complexa a gestão das unidades de produção.

Por se tratar de uma grande e complexa estrutura, o agronegócio visto como a modernização do campo, pode sofrer impactos negativos quando não conta com uma boa logística — ou, quando não há um controle logístico de qualidade ou bem executado. O ideal é buscar parceiros tecnológicos que agreguem valor aos seus serviços e sejam altamente eficientes — uma vez que a otimização é uma característica positiva e um diferencial competitivo no mercado.

Outro diferencial que merece destaque, é a pontualidade na entrega — toda cadeia produtiva pode ser afetada se em alguma das etapas sofrer atrasos, seja por problemas de visibilidade do processo, roteirização e monitoramento em tempo real ou outras questões ligadas diretamente ao planejamento logístico.

Como vimos, todas as fases da logística agroindustrial têm igual importância e relevância para o resultado e lucratividade. Por isso, cada vez mais, vale investir em componentes logísticos ou equipamentos/softwares que agilizem os serviços com máxima segurança e eficiência.

Por isso, caro leitor, conte com a Aware como seu parceiro logístico tecnológico eficiente e, de quebra, garanta o sucesso do seu agronegócio com quem entende dos melhores serviços de gestão logística moderna e automatizada, clicando aqui.

Mayara Silva
Técnica e graduanda em Logística – Especialista e colunista de logística e inovação na Aware.

marca-aware

“A inovação é o que distingue um líder
de um seguidor.”
– Steve Jobs

Oi, caro leitor! ((: Este post foi interessante para você? Então, siga nossas redes sociais e acompanhe mais conteúdos! Estamos no Facebook, Twitter, Instagram e LinkedIn.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on xing
Instagram
Share on linkedin
LinkedIn